Tratamento especializado


A medicina veterinária está evoluindo e com ela, seus profissionais. Os animais silvestres e exóticos são criados como animais domésticos, porém são muito diferentes de cães e gatos. Precisam de alimentação e cuidados especiais e de um atendimento médico veterinário especializado, para receber o tratamento adequado conforme a espécie.

 
Todos os tipos de animais precisam de cuidados específicos, entre eles, os silvestres e exóticos. Aves de pequeno e grande porte, répteis, pequenos mamíferos agora podem contar com um tratamento exclusivo e especifico para os mais diversos tipos de problemas.
 
Se você possui um papagaio, um coelho, um hamster ou até uma cobra, saiba que já existem médicos especialistas para esses animais. Um deles é o médico veterinário Pedro H. Arosteguy Siqueira.
 
Especialista em animais silvestres em menos de oito anos de profissão, Pedro Siqueira participou de diversos projetos de pesquisas relacionadas com atropelamentos de animais silvestres em rodovias e estradas, além de diversos resgates de fauna para construções de grandes empreendimentos. Professor na Universidade Estadual de Roraima – UERR, e técnico Ambiental em Boa Vista – Roraima.
 
O objetivo do trabalho era preservar as vidas dos animais silvestres, por meio de projetos de pesquisa. O profissional conseguiu diminuir a velocidade das rodovias e estradas e com isso minimizar a perda dos animais silvestres na Amazônia. A pesquisa visava qualificar e quantificar os animais silvestres atropelados tendo assim um resultado numérico sobre o impacto no meio ambiente e propor medidas mitigadoras juntamente com políticas públicas.
 
Nas grandes cidades como Brasília e Goiânia o atendimento a esse tipo de animal aumenta consideravelmente. Por isso, há mais de três anos Pedro Henrique possui um consultório médico veterinário no fim da Asa Norte (715 Norte) com atendimento especializado para animais silvestres e exóticos. O Pet Shop e consultório veterinário Point Animal atende desde cães e felinos até papagaios e cobras. Tudo muito profissional.
 
Para quem não tem onde deixar seus animais em ocasião de viagem, o Pet Shop também oferece o serviço de hotelaria para toda espécie de animal.
 
Consultas de rotina profilática e pequenos procedimentos cirúrgicos podem ser realizados no consultório. Exames laboratoriais são encaminhados para laboratório com certificação profissional e diagnósticos especializados são realizados no consultório, tudo para garantir a melhor solução para a saúde física, emocional e social dos animais silvestres e domésticos.
 
O veterinário conta que muitos clientes não possuem licença do IBAMA para ter animais como aves e répteis. Portanto o consultório preza fidelidade e segurança no atendimento, e esclarece as dúvidas pertinentes ao assunto.
 
Todos os animais, independente de sua legalização, devem ser levados ao médico veterinário para orientações sobre manejo e cuidados especiais diários. A maioria dos proprietários de animais silvestres e exóticos tem o hábito de levar seu animal ao veterinário somente quando ficam doentes, o que na maioria das vezes torna o tratamento clínico e cirúrgico muito mais difícil, por já estar a doença em estágio avançado.
 
“Os proprietários ficam com medo da fiscalização e não sabem como transportar o animal em segurança. Quando chegam a levá-los ao consultório o estado clínico já é crítico”, afirma Dr. Pedro Henrique.
 
“Para aumentar as chances de sobrevivência na natureza, os animais silvestres escondem os sintomas quando estão doentes. Quando alguns sintomas são percebidos, já podem estar bem debilitados. Por isso, a qualquer sinal de problemas procure um profissional o mais rápido possível”.
 
A clínica já recebeu diversos animais que são classificados como exóticos, por não serem considerados de fauna Brasileira, como a Calopsita, Periquito Australiano, algumas cobras e até o chamado “furão”. Na maioria das vezes esses animais não necessitam de licença do órgão responsável fiscalizador IBAMA, por isso é mais comumente criados em residências, o que não impede seus proprietários de levá-los periodicamente ao médico veterinário especialista.
 
O especialista também faz implantes de microchip em pets domésticos e silvestres, ajudando na identificação do animal em caso de perda e roubo. O serviço custa em média 120 reais. “Explica que para exportação ou viagem ao exterior é imprescindível a aplicação do implante. É nele que estarão todas as informações do animal”, diz o veterinário.
 
O implante tem o tamanho de um grão de arroz e é injetado em cada animal em um lugar especifico subcutâneo. Possui o mesmo material que o marcapasso e para os donos que querem identificar seus bichinhos onde quer que estejam, é só dar uma passadinha na clínica.
 
Point Animal também faz parte do grupo CASEDF – Criadores de Animais Silvestres Nativos e Exóticos do Distrito Federal, um grupo nacional que não possui somente criadores em sua composição. Apesar do que seu nome possa sugerir o grupo possui membros e ações em todo o território nacional. Foi criado com o intuito de conscientizar a população quanto à importância de se conhecer para preservar, bem como defender a aplicação do verdadeiro conceito moderno de desenvolvimento sustentável como meio de combater o tráfico de animais e maus tratos, bem como disseminar a consciência e o respeito aos animais.
 
Pois bem: você decidiu ter um animal silvestre com animal de estimação. Saiba, porém que ter um animal silvestre em casa requer grande responsabilidade: respeito às características comportamentais do animal, cuidados com a sua alimentação, prevenção e tratamento de doenças, fornecimento de abrigo, alimentação e segurança adequados e respeito às leis vigentes.
 
Se você pudesse escolher, o que escolheria: comprar um animal silvestre procedente do tráfico na beira da estrada, em uma feira livre ou em um depósito clandestino, sem saber sua origem ou o quanto ele sofreu até chegar a você ou comprar o mesmo animal, nascido em cativeiro autorizado pelo IBAMA, cercado de todos os cuidados veterinários e que já visse marcado, sexado, com nota fiscal e de forma legal, conforme estabelecem as normas do IBAMA?
 
Se você escolheu a segunda opção você está demonstrando ser consciente, um cidadão cumpridor das leis! E foi pensando nisso, no desejo que diversas pessoas têm de possuir um animal de estimação de forma legal e ainda contribuir para a diminuição do tráfico de animais silvestres, que o IBAMA, a partir de 1993, publicou diversas portarias e instruções normativas com o intuito de ordenar a criação de animais silvestres em cativeiro: nasciam assim os chamados criadouros de animais silvestres.
 
A existência desses criadouros é prevista na Lei de Proteção a Fauna – Lei nº 5197/67, na Lei de Crimes Ambientais – Lei nº 9605/98 e no Decreto nº 3179/99 que regulamentou essa Lei.
 

M. V. Pedro Henrique Arosteguy de Carvalho e Siqueira

CRMV – DF 1475

Medicina de animais silvestres e exóticos

Point Animal

O que dizem nossos Clientes

Eles conhecem bem a gente

Fundada em 2008, Point Animal nasceu da vontade de oferecer um atendimento clínico personalizado aos animais de estimação e Pets não convencionais (aves, répteis, roedores, lagomorfos, primatas, ferrets, peixes entre outros).

Contatos

SCLRN 716 Bloco B Lojas 31 e 37  Brasília
Asa Norte - Distrito Federal
(61) 3347-9305
(61) 3272-9204
PLANTÃO 24 HORAS/Chamar pelo celular
(61) 9931-19786

Funcionamento

  • Segunda à sábado - 08:00 às 18:00 | Domingo - 09:00 às 18:00 | Domingo apenas atendimento clínico

Útimas fotos